novidades

Os nerds tomam o Rock in Rio

Os nerds tomam o Rock in Rio

Vai longe o tempo em que o Rock in Rio era o refúgio dos amantes do ritmo que dá nome ao evento. Este ano, uma das surpresas do festival foi a inauguração de um espaço voltado para fãs de games, onde o público é convidado a arremessar os famosos passarinhos de Angry Birds com um estilingue gigante, assistir estrelas de futebol (de verdade) jogando virtualmente e participar de uma corrida de kart com o próprio Mário Bros. O local, batizado de Game XP, conta ainda com exposições de criadores de histórias de quadrinhos e concurso de cosplay, e já atraiu mais de 80 mil pessoas desde sua abertura na sexta-feira. Uma verdadeira invasão nerd no Rock in Rio.

O espaço nasceu de uma parceria entre o festival e a Comic Con Experience (CCXP) – o maior evento voltado para cultura pop do mundo, que há três anos acontece em São Paulo. Apesar da aparente “distância” entre os dois universos, os idealizadores do espaço, que ocupa duas arenas olímpicas, garantem: música e games tem tudo a ver. “Nós já estávamos ‘namorando’ a CCXP há muito tempo. Faltava definir como aliar os dois temas. Decidimos pelos jogos porque todo mundo tem ou já teve uma relação com eles na vida, e as trilhas sonoras são sempre marcantes. Quem não conhece a musiquinha do Mário?”, brinca a diretora de novos negócios do Rock in Rio, Roberta Coelho.

O empresário Pierre Mantovani, CEO da CCXP, também ressaltou a proximidade entre a “tribo” geek e o festival. “Sabemos que um terço do nosso público toca algum instrumento musical e o gênero favorito deles é rock”, disse à VEJA. Na programação das arenas, não faltam momentos em que os dois universos se unem. Todos os dias, o show de abertura da Arena Bay – espaço que abriga uma tela de videogame de 20 metros de altura – conta com a presença de uma banda tocando trilhas sonoras de games simultaneamente à exibição de partidas.

As opções de atividade são inúmeras. Há jogos de dança, corrida, lutas entre super-herois e simulador de montanha-russa. Do lado de fora, atores vestidos como personagens de jogos – os chamados cosplayers – chamam a atenção dos que passam. Quem vier fantasiado, inclusive, pode participar do concurso, cujo prêmio é uma vaga na final da competição na Comic Con, em dezembro. A carioca Valquíria Lima, de 28 anos, representou a personagem Sindel, do jogo Mortal Kombat. “Não parei de tirar selfies e perdi a conta de quantas vezes ouvi ‘joguei muito com você’”, diverte-se.

A dúvida, entretanto, é se o público “veterano” do Rock in Rio vai se estranhar com a turma do videogame. O casal Lina e Thiago Mendonça, que frequenta o festival desde 2011, aprovou a área. “Há algum tempo o Rock in Rio demonstra que quer ser um evento de entretenimento, não só de música. Mas pode ser que o pessoal mais velho, que vem nos últimos dias, estranhe um pouco”, comentou Lina. Para esse público, os organizadores apostam em experiências baseadas em jogos antigos, como Mário Bros. e Pinball, além do futebol. Na semana que vem, o ex-jogador Zico é presença confirmada para comentar ao vivo uma partida de virtual na arena. Hoje, foi a vez os jogadores Diego e Everton Ribeiro, do Flamengo, se arriscarem nos controles. Até agora, a aposta foi um sucesso.

Fonte: Veja.com

Tiago Bilicki

setembro 20th, 2017

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *